O mais completo
guia de raças do Brasil

Facebook
Como escolher o cão ideal

cadastrar remover

// Anuário Pet
Aves Pets

Que cantam e encantam

Seja pelo seu magnífico canto, pelo colorido de suas penas ou até mesmo por serem ótimas imitadoras, as aves podem se tornar excelentes animais de companhia. Existem cerca de 9 mil espécies pelo mundo. Os três grupos mais procurados pelos amantes de aves são: os psitacídeos (Araras, Papagaios, Jandaias, etc.), os passeriformes (os pássaros de canto em geral: Canário-da-terra, Pássaro-preto, Corrupião e outros) e, por último, o grupo dos Ramphastídeos (Tucanos e Araçaris). “Existem também os criadores legalizados de aves ornamentais que abrangem os Mutuns, Jacus, Jacutingas, Inhambus, dentre outros. Essas espécies são mais procuradas por pessoas que possuem um grande viveiro e mantêm a ave solta nessa área. E, por fim, temos uma espécie de ave que é criada legalmente para abate e consumo humano, que é o caso da Ema”, explica a bióloga Antonietta Ficucella, gerente da Amazon Zoo, pet shop de São Paulo especializado em animais silvestres e exóticos.
 

Legalização e Aquisição

O primeiro cuidado ao se adquirir uma ave é verificar se sua venda é legalizada. O tráfico de animais silvestres no Brasil está em 3º lugar, perdendo somente para o de drogas e armas. Por isso, a legalização surgiu com o intuito de inibir o comércio ilegal. “Uma ave legalizada deve possuir uma anilha (fechada em algumas espécies), ou seja, um anel de metal com informação do criatório de origem, número de registro no Ibama e nascimento. O criatório e/ou loja deve emitir uma nota fiscal com a espécie da ave, criatório de origem e registro no Ibama, nascimento, sexo, identificação (anilha) e valor de venda”, alerta a médica veterinária especializada em aves, Dra. Claudia Rossi Ontivero. Mas, além destes cuidados “é importante que a pessoa observe como esse animal foi criado e como ele está sendo cuidado, a fim de comprar uma ave saudável e feliz, livre de doenças e traumas”, aconselha a bióloga Antonietta.

 

Definida a espécie, é importante observar alguns detalhes que vão assegurar se a ave está realmente saudável:


• penas inteiras, limpas e sem estarem quebradas ou arrepiadas;
• olhos bem abertos e brilhantes; • bico dentro do tamanho
padrão da espécie;
• a parte inferior do bico deve encaixar perfeitamente na parte superior;
• musculatura peitoral normal;
• resposta a estímulos; • as asas não devem estar caídas;
• as patas devem estar perfeitas, inteiras, apoiando-se perfeitamente nos poleiros;
• ausência de secreções no bico e nas narinas;

• consistência, volume e cor das fezes normais.

 


Os mais indicados para animais de estimação são as espécies do grupo dos psitacídeos, pois são aves muito dóceis e sociáveis com a frequência do manuseio. “A manutenção de aves de vida livre, além de ser contra a lei, leva a uma ave estressada, que se machuca e fica doente facilmente”, aconselha a Dra. Claudia. Araras, papagaios, jandaias, periquitos, maracanãs, tuims, agapornis estão entre as 332 espécies de psitacídeos. “Além da beleza das cores, todos têm capacidade de imitar sons e palavras. Há aqueles que são ótimos imitadores, como é o caso dos nossos papagaios brasileiros. Se criados de uma forma certa, tornam-se ótimas aves de companhia. Para aqueles apaixonados por canto, os passeriformes são os mais indicados. Há até torneios internacionais de canto para os aficionados por seus animais”, diz Antonietta.


É muito importante conhecer o perfil da ave antes de adquiri-la. “Cada ave tem um comportamento e cuidados específicos que devem ser avaliados antes de sua compra/aquisição. Por exemplo, algumas aves fazem muito barulho, como periquitos australianos e jandaias. Outros são dóceis e de fácil treino, quando criados desde filhotes (que são aos mais populares ultimamente), como calopsitas, agapornis, papagaios. Alguns são calmos e cantores, mas que não gostam muito de contato próximos com as pessoas, como canários, mandarins, cuiriós”, explica a Dra. Cláudia. Mas, antes de definir a espécie, é importante estar ciente que você estará adquirindo uma vida, que precisa de cuidados e, principalmente, de atenção. A bióloga Antonietta Ficucella aconselha ao futuro proprietário fazer algumas perguntas: a ave é para uma criança ou um adulto? A pessoa mora sozinha ou não? Existem crianças na casa? Existem outros animais? Mora em casa ou apartamento? “Esses são alguns exemplos importantes para indicar finalmente as melhores espécies, segundo o perfil do cliente. É um processo trabalhoso, mas que geralmente resulta em boas parcerias, seja entre a ave e o dono, quanto o dono e a loja”.


Cuidados que resultam em saúde

O manejo de qualquer ave é que vai resultar em um animal saudável em todos os aspectos: físico, comportamental, e emocional. Os cuidados básicos para a sua manutenção são: alimentação adequada, acessórios básicos (gaiola, comedouros, brinquedos, poleiros e outros), higiene diária da gaiola e utensílios de proteção da ave contra correntes de vento. E assim como cães e gatos, as aves necessitam de atenção e carinho.
 “Nenhuma ave suporta a corrente de vento, podendo desenvolver problemas respiratórios caso ela seja mantida em um ambiente nestas condições”, alerta a bióloga Antonietta Ficucella.

 


Para manter penas e bicos saudáveis, a alimentação balanceada é fundamental. “Para o bico, é interessante dispor ao animal casca de coco, objetos de madeira e pedras de cálcio para que ele possa gastá-lo. Já para as penas, pode-se oferecer uma banheira para que a ave possa banhar-se ou borrifar água em suas penas nos dias mais quentes”, recomenda a bióloga Andréa Silvia Borin, da Casa do Papagaio (SP). Complementar a alimentação com frutas, verduras e sementes também é aconselhável, mas com moderação. Alguns alimentos são proibidos, como alface, morango, tomate, frutas cítricas e sementes de girassol e amendoim, por serem muito gordurosas.


Outro fator fundamental é o tamanho da gaiola, uma vez que a ave deve ficar em um local préestabelecido, já que ela precisa ter um espaço para se sentir segura. “A gaiola deve ser de tamanho adequado a espécie da ave, suas necessidades e a quantidade de aves. Deve ser de tamanho mínimo que ela possa se movimentar com as duas asas abertas e possa voar ou se mexer bem. Também deve ser de material resistente e de fácil limpeza. Evite as de madeira, pois são difíceis de limpar, já que as fezes e urina das aves, aderem e mancham”, aconselha a Dra. Claudia.


Assim como os demais animais de estimação, as aves também precisam passar por avaliação anual. “O mais importante é que o dono se atente para qualquer mudança de comportamento de seu animal. Parar de se alimentar ou comer mais que o normal, fezes de coloração e consistência diferente do normal, prostração da ave, emagrecimento, são alguns exemplos que podem indicar que a ave precisa urgentemente de uma avaliação veterinária”, diz Antonietta. As consultas devem ser feitas em clínicas ou pet shops que dispõem de um médico veterinário especializado em aves ou animais silvestres.

 

 

 


Veja mais

Os benefícios dos snacks para cães

Sala de aula pet friendly

GOL amplia serviço de transporte de pets na cabine para voos internacionais

Saiba a importância de oferecer água fresca

Câncer de mama em pets: o que devo saber?

« anterior 1  [2]  3  4  5  6 próximo »

capa anuário

Confira nesta edição:

> Os melhores cães

> História de criadores

> Adestramento, Saúde, Cuidados com os filhotes..

> E muito mais...



Todos os direitos reservados. Editora Minuano
Proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo sem autorização e aviso prévio.